O segredo para crescer sua carreira com apenas 5 minutos por semana

O maior recurso na evolução profissional não é um currículo cheio de floreios, mas as pessoas que você conhece ao longo da jornada.

O começo de ano é sempre um bom momento para refletir sobre o futuro profissional: em que estágio estou, para onde ir e como chegar lá? É sempre um período em que pessoas como eu – analistas de indústria e consultores – usam para tentar prever as habilidades demandas e que lhe ajudarão a impulsionar sua carreira no futuro. Obviamente que, se essa evolução fosse tão simples quando muitas vezes tentamos fazer parecer, todo mundo seria CEO de alguma empresa.

Na realidade, um conselho nunca será universalmente útil como tenta se fazer parecer. Focar em expandir habilidades quentes talvez seja válido para uns, enquanto, para outros talvez soe como algo diverso demais uma vez que os objetivos e ambições são bastante variados.

E mais: enquanto para alguns profissionais é fácil migrar de uma posição técnica para uma gerencial e vice-versa; outros oscila entre períodos como funcionários e terceirizados; e muitos ambicionam um caminho mais tradicional dentro de uma única organização a fim de escalar as estruturas corporativas.

Mas, existe uma coisa que pode servir para todos, independente do perfil ou caminho que pretende seguir. Trata-se de algo que pode efetivamente ser realizado apesar da rotina atribulada do trabalho. Basta pegar cinco minutos de sua semana para retomar contato com alguém de seu passado. Todo mundo é capaz de dedicar esses pequeno espaço de tempo enquanto espera pelo começo de uma reunião, na hora do cafezinho ou logo após o almoço.  

Esses cinco minutos por semana servirão para um processo de reconectar-se. Pode ser uma retomada de contato com alguém com quem você já trabalhou, frequentou a escola/universidade ou conheceu em algum atividade corporativa ou fora da organização. Tudo que você precisa fazer é pensar em um nome e entrar em contato com aquela pessoa, por telefone, email, redes sociais.

Não se preocupe. A tarefa não será um compromisso gigantesco e não levará a vida inteira. As pessoas que procurará provavelmente são tão ocupadas quando você e não terão horas e horas para ficarem falando ao telefone. Mas esses minutos da semana podem fazer mais por sua carreira do que você pode imaginar.

Por quê? Porque relacionamentos são peças fundamentais na construção de uma carreira – abrem oportunidades para novos empregos, para novos contratos e para novas atividades. É possível falar sobre coisa amenas nesses contatos ou é possível ser direto quanto a suas intenções – caso tenha isso claro.

As oportunidades, normalmente, vêm de pessoas que você conhece. É possível até ficar muitos anos sem entrar em contato, mas quando alguém lembra com carinho e respeito de você e do seu trabalho, provavelmente ficará feliz sobre o que sabe em termos de novidades e possibilidades para o futuro. Mas não faça esse movimento apenas por interesse, busque estabelecer um relacionamento. Essa é a chave do sucesso desse tipo de iniciativa.

Há algumas semanas, por exemplo, fui atualizar um equipamento de som lá de casa. Isso me fez lembrar em um sujeito com quem trabalhei há 20 anos, que era obcecado com sistemas estéreo. Essa lembrança gerou um movimento de escrever para esse amigo perguntando o que tem feito da vida e como tem passado. Só isso.

O maior recurso na evolução de sua carreira não é um currículo cheio de floreios, mas as pessoas que conhece ao longo de sua vida profissional. Se deixar uma boa impressão, certamente elas farão oportunidades cruzarem pelo seu caminho. Pode acreditar nisso.

 
Fonte: http://www.cio.com.br  | Autor: Paul Glen

Anúncios

Processos e pessoas

image

Autor: desconhecido

Cinco pontos fundamentais para gestão da própria carreira

Saiba que critérios usar na hora de avaliar se vale a pena trocar de posto de trabalho.

Tomar decisões sobre o curso da carreira nunca é fácil, esteja o profissional procurando por um novo emprego ou avaliando a oferta de um empregador em potencial.

É por isso que ter um guia objetivo para a tomada de grandes decisões relacionadas à carreira é importante. A recrutadora da empresa norte-americana de RH Russel Reynolds Associates, Shawn Banerji, aconselha os executivos a seguirem cinco critérios na avaliação de uma oferta de emprego: posição, pessoas, plataforma, lugar e pagamento. “Esses são os cinco pontos que devem ser levados obrigatoriamente em consideração”, diz Banerji.

Essa metodologia ajuda a reduzir a complexidade da decisão direcionar o foco da análise e levar o executivo a refletir se vale mesmo a pena deixar a posição atual.

Confira os detalhes sobre cada ponto a ser a avaliado:

1 – Posição – Para determinar se a posição que está sendo oferecida é a certa para o profissional, ele deve ter respostas claras para uma série de perguntas: qual será seu papel efetivo na nova empresa? Quais serão as responsabilidades do papel e as expectativas para com o mesmo? Está confiante que pode ser bem sucedido no papel? Para quem se reportará? Qual a importância do cargo na escala de valor da companhia? Terá o poder necessário para fazer as realizações que espera?

2 – Pessoas – O profissional se dá bem com as pessoas com as quais trabalha atualmente ou com as quais pode vir a trabalhar? Banerji ressalta que isso é muito importante, já que o tempo gasto com os colegas chega a ser maior do que o investido em família e amigos.

3 – Plataforma – O profissional conta com uma plataforma com a qual se sente confiante e pronto para dar contribuição material? É importante considerar os objetivos de negócios da companhia: ela está passando por uma reformulação? Crescimento? Aquisições ou alienação? Banerji diz que essencial é entender como as habilidades e competências do profissional se alinham com a direção dos negócios.

4 – Lugar – Onde a vaga está localizada fisicamente? O mercado imobiliário na região facilita a realocação para assumir o novo cargo? O novo empregador ajudará com a mudança?

5 – Pagamento – O retorno da investida é proporcional ao risco que se está tomando ou a contribuição que será feita?

E o leitor? Que critérios utiliza para determinar se deixar a vaga atual para um outro emprego é a coisa certa a se fazer?

Apesar de os conselhos de Banerji terem sido direcionados aos executivos, eles se aplicam a profissionais de todos os níveis. Tente aplicá-los.

Fonte: CIO