Viver ou Juntar Dinheiro?

Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente.
Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30 mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante.

Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário.. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei.
Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.
Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro.

Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?

Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade.

Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

“Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO”

Que tal um cafezinho? ou uma cervejinha? FIQUEM COM DEUS

Autor: Max Gehringer

Anúncios

4 comentários sobre “Viver ou Juntar Dinheiro?

  1. Rafael, acredito que temos que achar um ponto de equilíbrio…plagiando DalaiLama, nós comprometemos nossa saúde para ganhar dinheiro e depois gastamos todo o dinheiro para recuperar nossa saúde…Em tudo na vida precisamos ter equilíbrio

    • Realmente o equilíbrio é sempre uma boa pedida até porque não podemos nos esquecer que mesmo não sendo o principal, o dinheiro é um grande fator motivacional!!! Abraço

  2. Acredito que essa questão deve ser refeita em diversos momentos da vida. Geralmente quando se está em início de carreira e consequentemente (na maioria dos casos) mais jovem (por volta dos 20 anos), deve-se aproveitar as oportunidades e conseguir acumular experiência e dinheiro. Nesse período seus compromissos, principalmente os financeiros não são as maiores preocupações. Claro que deve-se reservar um tempo para viver, caso contrário afetará seu próprio networking, excluindo as pessoas que estão a sua volta. Posteriormente, na faixa dos 30 aos 35 anos, teoricamente terá uma estabilidade financeira podendo assim adquirir ótima qualidade de vida, seja com família constituída ou não, e poderá pagar por eventuais necessidades de atualização de conhecimentos. Resumidamente, esse questionamento deve ser realizado em intervalos de aproximadamente 5 a 6 anos.

    Abraço a todos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s